Google+ Followers

segunda-feira, 1 de abril de 2013

CURIOSIDADES



Entre os alimentos que são mais consumidos está o queijo, alimento este que é de grande importância para a saúde.
Fabricado a partir do leite, é um concentrado de proteínas, gorduras, carboidratos, minerais, cálcio, fósforo e vitaminas. No preparo, são usados o leite de vaca, cabra, ovelhas, búfalas e outros.
A nutricionista, Patricia F. Sousa Novais, alerta que, para as pessoas que possuem problemas com a proteína do leite (lactose), o queijo não recomendado é o minas frescal. “Pois é o que apresenta maior concentração da proteína. Já os queijos muçarela, prato, provolone, parmesão e gorgonzola não contêm a lactose.”
Entre os tipos mais gordurosos estão o parmesão e o minas padrão ou curado. Por outro lado, os queijos minas frescal light e o cottage são os com menor teor de gordura, explica a nutricionista.
“Há uma redução de gordura de mais de 80% entre o queijo minas padrão ou curado e o frescal light. Portanto, vale à pena optar pelo frescal light”, orienta a nutricionista. A atenção ao teor de gordura deve ser dada também aos queijos gorgonzola, prato, provolone e muçarela.
O colesterol é outro problema que pode atrapalhar no momento do consumo do queijo, pois, alguns possuem alto teor, como o parmesão seguido pela muçarela e pelo prato. “As melhores opções para quem busca um queijo com baixo teor de colesterol é o requeijão light e o cottage.”
Para a nutricionista, o alimento deve fazer parte da alimentação diária devido ao seu valor nutricional. Alguns nutrientes se destacam, como o cálcio, que é importante para a estrutura óssea, evitando a osteoporose.
“Temos, ainda, a proteína dos queijos, que apresenta mais fácil digestão que a proteína do leite. Quanto mais maturado o queijo, mais rico em proteína, sendo esse nutriente essencial para manutenção muscular e estruturas do organismo, sistema imunológico, entre outras. Porém, a maturação também está relacionada com o alto teor de gordura, especialmente, a gordura saturada e o colesterol, as gorduras ‘ruins’ da dieta, favorecendo as doenças cardiovasculares. Por isso, precisa ser consumido com moderação”, alerta Patrícia.
A melhor opção de consumo dos queijos depende do modo de preparo e preferência de cada um. A quantidade e frequência dos queijos variam de acordo com o teor de gordura apresentado. Aqueles com maior teor devem ser evitados, dando preferência aos queijos com baixo teor, como o frescal light e o cottage.
“Assim, o ideal é preferir os produtos lácteos com baixo teor de gordura e respeitar a tolerância individual por cada um deles”, finaliza.
No comércio
A comerciante Alexandra de Paula Theodoro Genaro comenta que, na loja, a maior procura é pelo queijo minas frescal. “Alguns clientes até reservam, pois esse tipo possui menos sal. Geralmente, quem se preocupa com a alimentação e faz algum tipo de dieta, leva esse queijo.”
Já para os que gostam de exagerar, existem os recheados e temperados, uma tentação ao paladar. “Tem o queijo recheado com requeijão, o original vem de Portugal, e nós temos a versão mineira dele. É realmente uma delícia. Além de outros tipos, como o padrão, que também sai bastante.”
Para acompanhar os queijos, os vinhos e doces são boas opções, principalmente, a goiabada cascão e o doce de leite puro. Mas, o paladar de cada um também conta bastante nessa hora. Além disso, são boas opções nos pratos salgados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário